Dos Andes para o nosso prato, a história da Quinoa

Plantação de quinoa

Hoje conhecida como um dos maiores presentes dos Andes para o mundo, a quinoa é um patrimônio cultural do Peru, cujos registros históricos datam de mais de 5 mil anos de produção local. Mas além de seus benefícios para a saúde, pouca gente conhece a história e as lendas por trás desse grão, que transcende a identificação local e cria laços que se misturam com o próprio folclore de sua terra natal.


A Lenda

A Lenda

Segundo o mito repassado pelo povo Aymará, descendentes diretos dos Incas, cerca de 3 mil anos atrás um jovem aimará viu três garotas entre as plantações na beira do lago Titicaca.  Acreditando que eram ladras, o jovem soou um sino em suas mãos e viu duas fugirem se transformando em estrelas, exceto uma. O jovem aimará a ajudou, até que adultos foram atrás dele para saber o que havia acontecido. A estrela, já curada, agradeceu ao jovem e voou aos céus de volta para sua casa. Apaixonado, o menino subiu até a montanha mais alta e pediu ao condor gigante que o levasse até o céu para que visse sua estrela novamente. 
Chegando ao ápice das nuvens, ele encontrou sua amada e lá conheceu seu alimento sagrado: a quinoa! Tendo vivido com ela por algum tempo e com saudade de sua família, o menino se despediu de sua estrela e voltou a Terra, mas não antes de sua amada presenteá-lo com grãos de quinoa, para que a humanidade conhecesse seu alimento. E desde então os Aymarás passaram a cultivar a quinoa no alto dos Andes, disseminando seus grãos por toda a região e lhe dando as alcunhas de “A Semente Mãe” e “O Grão de Ouro”.

Sobrevivendo à colonização e redescobrimento

Sobrevivendo à colonização e redescobrimento

Quando os espanhóis chegaram ao Peru no século XVI, devastaram praticamente todas as produções de grãos locais. Sua busca constante por ouro e prata, além da imposição de sementes de trigo e cevada os fizeram quase extinguir tanto a quinoa quanto outros grãos irmãos, como o amaranto. Por séculos a Quinoa ficou restrita e escondia nos Andes até que dois exploradores americanos há descobriram nos anos 70 cultivadas por fazendeiros locais. Ao ouvir sua história e conhecer seus supostos nutrientes, os americanos levaram exemplares para cultivo próprio em seu país e o grão não demorou a se popularizar.


20 anos

Nos dias de hoje

Já consolidado e com alta demanda há mais de 20 anos, a quinoa se tornou um dos principais grãos de exportação do mundo presença constante no cardápio em vários lugares. Com nutrientes equivalentes ao leite materno e sua adaptabilidade tanto em forma de plantio quanto em utilidade em receitas, é muito comum ver grãos de quinoa não apenas completando pratos como saladas, vitaminas, frutas ou mesmo carnes, como também servindo como parte integral de dietas para atletas e, recentemente, se tornando popular na alimentação vegetariana. 

Seja como uma dádiva das estrelas para a humanidade ou como uma sobrevivente de séculos cujo valor de mercado constantemente aumenta, a quinoa já se tornou um patrimônio da humanidade por tudo que a cerca. Ou como dizem muitos Aymarás até hoje: “A Quinoa é o passado, é o presente e é o futuro não apenas nosso (nativos), mas de toda a humanidade!”.